Quem Somos


A Escola de Conselhos de Pernambuco decidiu apresentar o projeto por quem mais entende dele: os sujeitos diretamente participantes das atividades de formação inicial e continuada. Acompanhe a mudança na vida profissional e pessoal de quem já passou por aqui:


ALISSON ROSENDO

A ECEPE é para mim um espaço de aprendizagem muito rico, desde meu primeiro contato, como estagiário, pude aprender muito sobre o campo dos Direitos Humanos e Direitos da Criança e Adolescente. A experiência que eu vivi na ECEPE, ajudou bastante em minha formação acadêmica, na perspectiva de proporcionar múltiplos aprendizados com diversos profissionais da área da infância por meio de atividades, palestras, cursos, encontros, como também na formação pessoal, onde pude pôr em prática a militância em defesa dos direitos humanos das crianças e adolescentes.

ELIÚDE

Avalio a minha experiência como estagiário na Escola de Conselhos de Pernambuco como algo extremamente válido e proveitoso. Foram 2 anos de amadurecimento tanto como futuro profissional da área de educação como um período de crescimento pessoal também. Posso dizer que pude aprender com todos, desde os meus colegas estagiários até o corpo docente e a coordenação, em um ambiente de trabalho agradável, cooperativo e com uma relação horizontalizada entre nós. Além disso, servir a um propósito tão bonito e nobre como o da Escola foi algo bastante gratificante.

SILVIO CADENA

Ao relatar minha experiência ao trabalhar como Assessor de Comunicação da Escola de conselhos de Pernambuco, pesquisador do Projeto 25 Anos do ECA e Coordenador do LAHIN poderia, de cara, exaltar o profissionalismo da instituição. Mas, na verdade, isso seria muito pouco. Quero ressaltar aqui minha experiência enquanto ser humano e que com toda certeza foi enriquecida ao se deparar e depurar minha sensibilidade para com o outro. A ECEPE trabalha na ponta, junto aqueles que são capazes de realizar “pequenas” grandes mudanças na vida das pessoas, sobretudo, na vida de crianças e adolescentes. Para mim, a existência dessa instituição tem caráter de resistência ante a toda forma de violação dos direitos humanos e isto certamente não é pouco. O ato de prezar pela inclusão onde o mundo opera numa lógica de exclusão é um ato político de grande valor. O meu tempo na Escola não é apenas mais um ponto em meu currículo, mas sim uma marca que carrego orgulhosamente em meu espírito.

LEONARDO NASCIMENTO

Jaboatão dos Guararapes

Vida de Conselheiro não é moleza, mas quando se tem profissionais que buscam ajudar na formação continuada, no entrosamento, na troca de experiência e no aperfeiçoamento de nossa função, as coisas ficam melhor. A Escola de Conselho nos garante tudo isso, já utilizei minhas aprendizagens em vários momentos no CT. Nunca esquecendo que Zelar pelos Direitos da Criança e do adolescente é nossa missão.

LUCILÂNIA SANTOS DE MENEZES

Itaíba

A Escola de Conselhos de Pernambuco constrói muito em conjunto conosco. Antes das formações da Escola de Conselhos de Pernambuco eu era a favor da redução da maioridade penal. Depois da Escola, sou absolutamente contra. Entendi que isto não é a solução!

JOSÉ ATAÍDE DA SILVA

Ibimirim

A Escola de Conselhos de Pernambuco realiza sonhos no Sertão e forma cidadãos para fortalecer a área da infância. Ao sediarmos o Curso Ser Conselheiro(a), participamos de um momento ímpar no que se refere à nossa formação. Muito felizes com esta oportunidade, ficamos à espera de um próximo momento junto à Escola de Conselhos.

LAÉRCIO GLICÉRIO

Santa Cruz do Capibaribe

Depois do início da atuação da Escola de Conselhos de Pernambuco, acredito capacitação dos Conselheiros melhorou em 100%. Antes, os Conselheiros entravam sem saber bem suas atribuições ou conhecer o Estatuto da Criança e do Adolescente. Palestras de professores como Humberto Miranda e Silvino Neto foram muito importantes. Tenho muito respeito pela Escola de Conselhos, e acho uma fantástica iniciativa para a garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente em Pernambuco.

IRAN SANTOS

Recife

Participar da Escola de Conselhos de Pernambuco é, sobretudo, juntar a importância da base teórica com escola da prática diária para a formação dos Conselheiros. Todo e qualquer segmento profissional necessita cada vez mais de um material humano mais conhecedor e especializado, principalmente quando tratamos de seres humanos, num público alvo já tão vitimizado social e financeiramente. Costumo dizer que a fusão dos conselhos com a academia é um caminho sem volta. Aqueles Conselheiros e Conselheiras que por infelicidade não se aproximarem do estudo, da pesquisa e de qualquer entidade acadêmica que promova e oriente a sua formação, ficarão cada vez mais à mercê dos gestores ou atores que não tem a intenção e clareza em priorizar as políticas de atendimento à crianças e adolescentes e suas famílias. Para nossa prática, o conhecimento vence o medo.

SANDRA SANTOS

Vitória de Santo Antão

A Escola de Conselhos representa um mecanismo de formação continuada para todos os conselheiros de direito e tutelares do nosso estado, através das formações aprendemos a definição dos nossos papéis no Sistema de Garantia de Direitos, para assim podermos lutar pela efetivação do Estatuto da Criança e do Adolescente, além de integrar os conselheiros da região metropolitana com interior.

MALLON FRANCISCO

Itaquitinga

Espaço de conhecimento, de construção, interação e articulação, onde todo mundo tem o direito de falar e de ouvir. A Escola de Conselhos mudou o perfil da formação em Pernambuco, integrando o todo que antes estava disperso. Também uniu a capital e o interior, inserindo os conselheiros tutelares e de direitos no contexto nacional da luta pela causa da infância e da juventude.



Voltar